COBRAS VENENOSAS - O QUE FAZER EM CASO DE ACIDENTE

Cobras peçonhentas (venenosas)
São aquelas que representam risco de acidentes, pela picada, e cujo veneno ocasiona diversos sintomas. Podem conduzir à morte caso não haja tratamento específico adequado. É importante que o tratamento seja rápido e realizado por profissionais de saúde qualificados, em unidades de atendimento médico especializadas.
No caso das cobras, as características antigamente mencionadas como úteis na identificação desses animais não são totalmente decisivas para esse diagnóstico (cabeça triangular, cauda afinando rapidamente, formato da pupila e tamanho das escamas no alto da cabeça). A característica que deve ser observada é a presença da fosseta loreal (orifício entre o olho e a narina) existente em todas as serpentes peçonhentas das Américas, com exceção das corais verdadeiras.

Primeiros Socorros
Em caso de acidente com animais peçonhentos, seguir os passos de primeiros socorros a seguir:

Lavar o local da picada com água e sabão
Manter o acidentado em repouso. Se a picada for no braço ou na perna, estas extremidades devem ficar levantadas 
Levar o acidentado imediatamente ao polo de atendimento mais próximo. É importante que o tratamento seja rápido e realizado por profissionais de saúde qualificados, em unidades de atendimento médico especializadas.

Atenção: 
Não amarrar ou fazer torniquetes ou garrotes. O garrote impede a circulação do sangue, o que piora a situação.
Não colocar folhas, pó de café, fezes ou quaisquer outras substâncias no local da picada, pois podem provocar infecção.
 Não fazer cortes no local da picada, pois, somados aos efeitos do veneno, podem induzir hemorragias e infecções.
Não ingerir bebida alcoólica

Algumas cobras peçonhentas (venenosas)

Cascavel (Crotalus durissus)
Serpente peçonhenta que habita áreas abertas, como campos e cerrados. É vivípara e se caracteriza por possuir um chocalho na ponta da cauda, formado por diversos guizos. Cada muda acrescenta um novo guizo, e o número de guizos, portanto, não representa a idade da serpente em anos. Além disso, especialmente nas cascavéis mais velhas, os guizos terminais frequentemente se perdem, de modo que o número total de guizos não indica nem o número total de mudas. Clique na imagem ao lado para ampliar.

Coral Verdadeira (Micrurus sp)
São serpentes peçonhentas normalmente pequenas e de colorido vistoso, com anéis vermelhos, pretos e brancos ou amarelos em sequências diversas. Possuem hábitos fossoriais (vivem embaixo da terra) e são ovíparas. Clique na imagem ao lado para ampliar.

Jararaca (Bothrops jararaca)
Serpente peçonhenta, pertencente ao grupo que mais causa acidente no Brasil. Vive em matas, porém se adapta muito bem as áreas urbanas e próximas à cidade.  Vivípara, vive em ambientes preferencialmente úmidos, como beira de rios e córregos, onde também se encontram ratos e sapos, seus alimentos preferidos. Dorme durante o dia debaixo de folhagens secas e úmidas. Clique na imagem ao lado para ampliar

Jararacuçu (Bothrops jararacussu)
Serpente venenosa que pertence à família dos viperídeos e pode chegar dois metros de comprimento. Na língua tupi-guarani, “jarara” significa “o bote da cobra”, e “uçu” ou “ussu” grande, longo. Assim, jararacuçu lembra a longa distância que a cobra pode atingir ao dar o bote. A espécie é considerada muito perigosa, pois sua picada pode injetar uma grande quantidade de veneno. Possui uma dieta composta principalmente por pequenos mamíferos, aves e anfíbios.

Surucucu pico de jaca (Lachesis muta)
É a maior serpente peçonhenta das Américas. Pode ultrapassar 4 metros de comprimento. Vive em matas primárias e, diferentes dos outros viperídeos (família de serpentes venenosas) brasileiros, são ovíparas. Clique na imagem ao lado para ampliar.

As cobras mencionadas são as mais comuns na região. Outras serpentes também podem ser encontradas, mas no entanto não são venenosas, tais como: caninana, cobra cipó, cobra d’água, cobra papagaio, falsa coral, jibóia, sucuri e cobra verde. Veja conteúdo no site http://www.vitalbrazil.rj.gov.br/

_____________________________________________

SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE DE FERNANDO PRESTES

Fone: (16) 3258-4100

_______________________________________

Jornalismo Institucional: José Saul Martins - Mtb 24.622

Compartilhar

Comentários

    Nenhum comentário registrado. Seja o primeiro!

Deixar um comenário

Atenção: seu e-mail não será publicado.

ACESSIBILIDADE

Para navegação via teclado, utilize a combinação de teclas: Alt + [ de atalho]

Atalhos de navegação:

Tamanho da Fonte/Contraste
Por Favor, aguarde...